quinta-feira, 28 de outubro de 2010

"Querido John" de Nicholas Sparks



A adolescência não costuma ser uma fase muito fácil tanto para os pais quanto para os próprios filhos. John  Tyree se sente frustado e se revolta com pai que não possui uma vida social, vive apenas aquela mesma vidinha tão rotineira - acorda todos os dias no mesmo horário, toma o mesmo cafá da manhã, quase não fala e quando alguém lhe faz uma pergunta sempre responde da mesma forma monossilábica, tem uma enorme dificuldade em demonstrar afeto e jamais expressa seus sentimentos. Parece que o pai apenas consegue conversar sobre um único assunto: as moedas que coleciona. Não suportando a relação com o pai, desconhecendo sua mãe, John torna-se um jovem rebelde: começa a beber e a fumar, larga os esportes, arruma brigas e as notas no colégio pioram cada vez mais. Perto de se formar, ele decidi não se inscrever na faculdade. Arranja um emprego qualquer e passa suas noites em um bar, várias mulheres apenas passam por sua vida. Até que ao completar 20 anos, decidi entrar para o exército. A partir daí, seu comportamento começa a mudar e a raiva que sente pelo pai se arrefece, mas a incompreensão pelo comportamente dele continua.
Quando volta para casa em sua primeira licença pelo exército, depois de um ano, John já é outra pessoa. E, então, conhece Savannah. Uma garota doce e de bom coração que não apenas está prestes a se tornar o grande e verdadeiro amor da vida de John, como  o ajudará a compreender o comportamento do pai, tornando-os mais próximos.

Se eu gostei do livro? Sim, como poderia não gostar?! Como poderia não me emocionar ao ler uma obra de Nicholas Sparks?!
Ao finalizar, fiquei com a história na minha cabeça por vários dias, tentando entender os sentimentos que o livro me despertou.
Eu, sinceramente, ainda não sei ao certo se gostei daquele final... Não sei se concordo com as decisões de Savannah e suas justificativas. E questiono seus sentimentos com relação a John, que ao contrário, possui um amor inabalável. 
Sei que estas observações são confusas para quem não leu o livro, mas não posso dar explicações sem spoilers, então... Só digo que esses personagens são reais: como pessoas de verdade, que tomam decisões erradas, que um trilham seus próprios caminhos através de suas escolhas e que sofrem suas consequências, pois assim é a vida...
Portanto, eu indico este livro, sim, e como um bom livro de Nicholas Sparks, preparem os lencinhos! Pois seja pela a relação de John e Savannah, ou a relação entre pai e filho, você irá se emocionar.
E finalizo dizendo que fico impressionada com a capacidade de Nicholas Sparks de criar finais tristes em todas as suas obras - pelo menos, todas as que eu conheço!

3 comentários:

  1. Oi Dani!
    Eu também fiquei assim como vc... me emocionei e fiquei com a história na cabeça!
    Nicholas Sparks tem esse poder de emocionar mesmo!
    Bjss

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é maravilhoso, mesmo! :)

    ResponderExcluir
  3. Ei Dani,

    Ele adora mesmo nos fazer chorar não é, até hoje não li este livro mas está na lista rs

    bjooo

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e comentário! =0)